sábado, 12 de janeiro de 2013

A Graça de Deus



A Graça de Deus

            Rev. Ronald Hanko

      Tradução: Felipe Sabino de Araújo Neto*

O que é graça? Falamos freqüentemente da graça soberana ou da graça salvadora,
mas sabemos realmente o que é graça?
É evidente que alguns não sabem. Eles falam de “graça comum”, sugerindo que
Deus é gracioso para com todos. Se realmente soubessem o que é graça, não pensariam que
a mesma é comum. Outros afirmam que Deus não pode ser gracioso, se ele não salvar todo
o mundo, ou pelo menos der a todos uma chance. Se soubessem o que é graça, não
pensariam dessa forma.
Podemos não saber tão bem quanto pensamos o que é graça. Sabemos que a graça
é um atributo de Deus? Sabemos que Deus é gracioso em si mesmo, e seria gracioso mesmo
que nunca tivesse nos criado, mesmo que ninguém fosse salvo? Mesmo então, a graça seria
um atributo de Deus, uma de suas belezas. Ele ainda seria gracioso, mesmo que não
fôssemos os objetos e recipientes de sua graça.
Esse é o significado quando dizemos que graça é um atributo de Deus. A graça não
somente caracteriza os tratamentos de Deus para conosco. Ela pertence ao que ele é, e ele
pode deixar de ser gracioso tanto quanto pode deixar de ser Deus Todo-Poderoso.
Freqüentemente definimos graça como “favor imerecido”. Embora não seja
incorreto, não é uma definição completa de graça. Essa descrição descreve apenas a graça
de Deus para conosco, e enfatiza o fato que sua graça salvadora é livre e soberana – que ele
não a deve a ninguém. Mas não nos diz o que a graça é como um atributo de Deus.
Como a definição comum sugere, ela é favor de Deus; portanto, quando dizemos
que graça é um atributo de Deus, queremos dizer que Deus é favorável para consigo mesmo.
Isto é, sem dúvida, simplesmente dizer que Deus ama a si mesmo em primeiro lugar e
deseja sua própria gloria acima de todas as coisas, algo que a Escritura ensina claramente.
A palavra graça também tem o significado de encanto ou beleza, especialmente um
encanto ou beleza interior, que é evidente em tudo da conduta e fala de uma pessoa. Assim,
falamos de pessoas sendo graciosas, ou de sua fala ou conduta sendo graciosa (Pv. 11:16;
Cl. 4:6). A própria Escritura fala de certas pessoas achando graça ou favor (sendo bela) aos
olhos de Deus (Gn. 6:8; Lucas 1:30).
Quando dizemos que Deus é gracioso, queremos dizer que em tudo da sua glória,
ele é belo e encantador acima de tudo o mais, e que a beleza de sua pureza e glória interior
brilha em todas as suas ações e palavras. Assim, ele encontra favor aos seus próprios olhos.
Como três pessoas em um Deus, ele ama a si mesmo e as suas obras acima de tudo e
considera sua obra incomparavelmente encantadora. Isso é o que é graça como um atributo
de Deus.
Não é humilhante pensar que Deus não precisa de nós para ser gracioso? Ele é para
sempre gracioso em si mesmo, e seria mesmo que não tivesse salvo ninguém. Que ele
salvou é, portanto, uma grande maravilha e algo pelo qual nunca deveríamos cessar de
agradecê-lo..


Fonte: Doctrine according to Godliness, Ronald Hanko, Reformed Free Publishing Association, p. 48-9

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAGANISMO CRISTÃO.

CRISTIANISMO ESTA AINDA SEM CONHECER O EVANGELHO,QUANDO SE DIZ VAMOS FAZER PEREGRINAÇÃO,OU PROCISSÃO,OU ROMARIA ATÉ UM TEMPLO LONGÍNQUO COM ...