domingo, 21 de junho de 2015

O que é glosolália?



Efeito tão corrente nas igrejas pentecostais e banalizado nas neo pentecostais. O primeiro efeito da glosolália na Biblia e na história ocorre na Mesopotâmia junto ao crescente fértil. Essa passagem é descrita no Genesis no capitulo 11 versiculo 7 ARC, um grupo de pessoas procuram por caminhos materiais chegar mais próximo de Deus, é interessante destacar algumas características desse ambiente e como essas pessoas se deparavam ante ao sagrado. Os povos antigos tinham que se algum dia soubessem o nome de deus ou vissem deus eles passariam a dominá-lo e assim tornariam deuses também. A busca por construir uma torre que tocasse os céus e alcançassem deus foi simplesmente para tornarem-se deuses. Quando deus viu em seus corações o desejo por não serem o que Ele havia prescrito, confunde a língua provocando o aparecimento de milhares de vocabulários, milhares de códigos e linguagens de comunicação entre os humanos. A glosolália nesse contexto foi instituída para a separação entre os humanos, dessa forma os humanos foram espalhados pela terra, nesse momento acredita-se que os continentes eram juntos. Assim explica como se espalharam pelas Américas os ameríndios e as ilhas.
Durante o velho testamento vê-se com muitas figuras a possibilidade de unificação dos povos através das línguas que chegou ao ápice nas palavras do profeta Joel onde diz “ E há de ser que, depois derramarei do meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os mancebos terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas, naqueles dias derramarei do meu espírito”. Nesse verso vê-se que não haveriam separação entre velhos e jovens, homens e mulheres ricos e pobre pois todos teriam do espírito de deus e em torno do Seu espírito teriam sonhos e visões e através dele, profetizariam. O profeta Joel, profetiza sobre o cativeiro e vê o pós cativeiro onde os judeus estariam livres e regozijariam do poder e alegria de deus.
E essa profecia se concretiza no livro de Atos dos Apóstolos no capítulo 2 onde seguindo uma recomendação do Mestre estavam em Jeruzalem orando durante o pentecostes ou festa das primeiras colheitas onde faziam a oferta de primícias e ofereciam o resgate pelos primogênitos. O escritor de atos (acredita-se Lucas) diz que desceram sobre os que sobraram na casa línguas de fogo repartidas que desciam sobre a cabeça de cada um que lá estava e eles começaram a falar línguas. É interessante destacar o contexto histórico.
Nesse momento estamos no Império Romano, Alexandre da Macedonia quando toma o Império dominado pelos gregos, instaura uma liberdade religiosa e permite aos bárbaros adorarem seus deuses, outro dado interessante é que ele instaura capitais das províncias que eram pólos de comercializações e organização política. Nesses pólos reuniam pessoas de todas as províncias. Outro dado interessante é que muitos gentios ou gentes haviam se convertido ao judaísmo alguns circuncidados e foram a Jeruzalem para cumprirem a lei de ofertas. Esses turistas políticos e religiosos ouviram e viram a profecia e as boas novas de Jesus pela boca dos judeus em sua própria língua, então os judeus foram os primeiros a presenciar o efeito da glosolália pra união entre os povos.
No novo testamento o único que discorre sobre as línguas e o uso é o Apóstolo (São) Paulo em suas epistolas de recomendações as igrejas do Império Romano. Paulo dá instruções as igrejas sobre a forma ideal do uso das línguas. Paulo deixa claro que tudo é licito, tudo podemos fazer mas nem tudo é conveniente poucas coisas edificam . Paulo pontua uma graduação entre os dons sendo o amor o dom maior e o de profetizar o mais importante entre a comunidade religiosa, dessa forma o esclarecer idéias e pontuar argumentos, a dialética, a leitura da palavra e dos textos dos filósofos e a exortação entre os fiéis é mais importante por ser conveniente e edificante. Paulo deixa claro sua preferência por dizer palavras em línguas conhecidas pelo receptor.
As Assembléias de Deus é fundada no Brasil por Daniel Berg e Gurnavingren que vem em missões a Belem do Pará trazendo o efeito da glosolália aos Brasileiros em 1911 na Igreja Batista.
Os Batistas não aceitam a glosolália e os missionários são convidados a sair da comunidade religiosa e montam a Missão de Fé Apostólica que veio a ser Assembléia de Deus. As Assembléias de deus tem seu crescimento muito próximo das comunidades segregadas da sociedade e desprovidas dos subsídios básicos de sobrevivência.
No Brasil os primeiros a experienciarem o efeito de falar em línguas são as Assembléias de Deus e a Congregação Cristã do Brasil, sendo a Cristã a primeira a ter o efeito de falar em línguas.
O falar em linguas foi aceito pelas classes mais baixas e em sua grande maioria sem informação e instrução que não sabiam nem ler a bíblia, e disseminado pelo Brasil sendo hoje uma característica principal das igrejas pentecostais e neo pentecostais.
As igrejas pentecostais tem o ato de línguas como sua bandeira, um estandarte de exibição, onde o fiel que não se expressa em glosolália é coagido e posto como não tendo o Espírito santo, que tem pouca fé, que não é santo o suficiente, etc. Nota-se nesses casos que por não terem instrução se manifestam de forma equivocada chegando a congratularem integrantes da comunidade com cargos ministeriais por falarem em línguas que ninguém entendem. Apóstolo Paulo deixa claro que o dom de línguas é uma ferramenta de edificação própria onde o fiel ao experienciar chegará mais próximo de deus, terá em seu corpo experiências divinas que comprovarão sua proximidade com o sagrado já o dom de profetizar é uma ferramenta para os cultos públicos que serve para ensinar os dogmas e a doutrina além de trazer mensagens do sagrado.
Porém as Assembléias de Deus e todas as igrejas Neo Pentecostais entram em contradição quanto ao uso do dom de línguas e essas contradições ao invés de unir, que é o objetivo principal do dom de falar em línguas, separa e segrega isso quando manifestações mentirosas não acontecem e chegam ao ponto de fieis fingiram as línguas para que os integrantes da comunidade o vejam como grandes religiosos e “cheios do Espírito Santo”, essas manifestações de sacralidade chegam a ser banalizadas nas igrejas neo pentecostais que nas exposições públicas da bíblia soltam línguas que ninguém entende, em muitos casos são pra preencher lacunas por falta de argumentos e conhecimento de causa(Palavra/Bíblia).
Falar em línguas segundo a Biblia é uma ferramenta crucial pro desenvolvimento do fiel que através das línguas terá forças e animo pra continuar na comunidade religiosa. É a principal forma de conhecimento do sagrado e esse animo e alegria do fiel deixa-o unido com a comunidade e com o coletivo. A união não é no falar e sim nas sensações do fiel, são essas sensações a motivação principal que une a comunidade.
A sensação principal exposta na bíblia é o amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PAGANISMO CRISTÃO.

CRISTIANISMO ESTA AINDA SEM CONHECER O EVANGELHO,QUANDO SE DIZ VAMOS FAZER PEREGRINAÇÃO,OU PROCISSÃO,OU ROMARIA ATÉ UM TEMPLO LONGÍNQUO COM ...