quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Vivemos pela Lei ou pela Graça?

Vivemos pela Lei ou pela Graça?
Em Gálatas 5.2,3, Paulo orienta os irmãos que se deixavam ser circuncidados que a atitude deles não eram louváveis, pois a circuncisão era uma atitude praticada no tempo da Lei. Paulo disse que tais irmãos, que aceitavam tal prática, deveriam seguir toda a lei. Uma vez que ninguém consegue cumprir toda a Lei (exceto Jesus), Tiago 2.10 afirma que qualquer pessoa que descumprir um só preceito dela será culpado por toda a Lei. Ninguém pode adotar dois métodos de vida para ser aceito por Deus. Ou segue-se toda a Lei ou crê no sacrifício de Jesus e vive-se pela fé nEle. Paulo vai mais fundo e afirma que as pessoas que ainda tentam seguir a Lei, hoje, estão anulando o sacrifício de Jesus (Gl 5.2).
É comum entre nós, ainda que de forma inocente, não proposital, tentar resgatar alguma coisa da Lei na tentativa de sermos aceitos por Deus, de sermos mais santos. A única forma de sermos aceitos por Ele é crer no sacrifício de Jesus e andarmos como Ele andou.
Aqueles que tentam seguir a Lei estão debaixo de maldição e Jesus já se fez maldito por nós e rasgou a cédula que era contra nós. Obras não justificam ninguém. Boas obras são reflexos da nossa vida com Cristo e não requisitos para se alcançar a salvação.
O certo é que não podemos ficar com a Lei e com a graça de Deus ao mesmo tempo. O resumo da Lei é o amor e onde há o amor não há mais lei. Isso porque o cumprimento da lei é o amor (Rm 13.10).
Deus abençoe a todos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

A doutrina da imputação

E, se algum dano te fez ou se te deve alguma coisa, lança tudo em minha conta. ...